Home
:: www.imebi.com.br ::

A Psoríase é uma doença da pele bastante freqüente. Atinge igualmente homens e mulheres, principalmente na faixa etária entre 20 e 40 anos, mas pode surgir em qualquer fase da vida. Sua causa é desconhecida. Fenômenos emocionais são freqüentemente relacionados com o seu surgimento ou sua agravação, provavelmente atuando como fatores desencadeantes de uma predisposição genética para a doença. Cerca de 30% das pessoas que têm psoríase apresentam história de familiares também acometidos.

Não é uma doença contagiosa e não há necessidade de evitar o contato físico com outras pessoas.

Pode apresentar-se de várias maneiras, desde formas mínimas, com pouquíssimas lesões, até a psoríase eritrodérmica, na qual toda a pele está comprometida. A forma mais freqüente de apresentação é a psoríase em placas, caracterizada pelo surgimento de lesões avermelhadas e descamativas na pele, bem limitadas e de evolução crônica. As escamas geralmente são grossas e esbranquiçadas e as localizações mais freqüentes são os cotovelos, joelhos, couro cabeludo e tronco. Quando as placas regridem, costumam deixar área de pele mais clara no local afetado.

É comum ocorrerem fases de melhora e de piora. Outra característica, chamada de fenômeno de Koebner, caracteriza-se pela formação de lesões lineares em áreas de trauma cutâneo, como arranhões. As lesões de psoríase são geralmente assintomáticas, mas pode haver prurido discreto (coceira).

Apresentações menos comuns são a psoríase ungueal, com lesões apenas nas unhas, a psoríase pustulosa, com formação de pústulas principalmente nas palmas das mãos e plantas dos pés e a artrite psoriásica que, mais comum nos dedos das mãos, caracteriza-se por inflamação articular que pode causar até a destruição da articulação. Outra forma de apresentação é a psoríase gutata, com surgimento eruptivo de pequenas lesões circulares (em gotas), freqüentemente associada com infecções de garganta.

O diagnóstico da psoríase é geralmente clínico, mas pode ser confirmado por uma biópsia, que revelará um quadro bem característico.

Tratamento

O tratamento da psoríase vai depender do quadro clínico apresentado, podendo variar desde a simples aplicação de medicações tópicas nos casos mais brandos até tratamentos mais complexos para os casos mais graves.

A resposta ao tratamento também varia muito de um paciente para outro e o componente emocional não deve ser menosprezado. Uma vida saudável, evitando-se o estresse vai colaborar para a melhora. A exposição solar moderada é de grande ajuda e manter a pele bem hidratada também auxilia o tratamento.

Não existe uma forma de se acabar definitivamente com a psoríase, mas é possível se conseguir a remissão total da doença, conseguindo-se uma cura clínica.

Existem várias formas de tratamento, desde simples pomadas até medicamentos injetáveis ou banhos de luz (fototerapia).

É importante lembrar que 75 a 80% dos pacientes têm formas leves e moderadas de psoríase, que podem ser controladas apenas com tratamentos locais (pomadas, loções, xampus, géis, e sprays ).
Os banhos de sol da manhã e do final de tarde são sempre saudáveis e auxiliam no tratamento, assim como as aplicações de fototerapia (aplicações de ultravioleta, também chamado PUVA).

Tratamento Biomolecular

Em todas as situações, é muito importante o uso diário de hidratantes e substâncias que ajudem a manter a pele com menos escamas. Atualmente, novas substâncias e ativos tem sido desenvolvidos pela cosmiatria, com efeitos cada vez mais eficazes na nutrição e tratamento da pele agindo, não só na epiderme, mas também nas camadas mais profundas, e até na matriz celular, eliminando Radicais Livres e diminuindo a agressão do tecido. Cremes à base de Ceramidas, composto de nutrientes com ação hidratante, nutritiva, antinflamatória e restauradora, agindo profundamente nas diversas camadas da pele, restaurando a barreira epidérmica. Compostos à base de silício.

O Mineralograma Capilar (Exame de Cabelo), geralmente evidencia níveis elevados de metais tóxicos, dentre eles o arsênico, e outros metais nutrientes como o cobre e ferro. Assim como, carência de vários outros ligados à síntese protéica (colágeno e elastina), que são a base de sustentação da pele.



 
Home Voltar Topo Imprimir


Desenvolvimento e Hospedagem de Sites