Home
:: www.imebi.com.br ::

A hipertensão, ou pressão alta, existe quando a pressão, medida várias vezes em consultório médico, é igual a 14 por 9 ou maior. Isso acontece porque os vasos nos quais o sangue circula se contraem e fazem com que a pressão do sangue se eleve. Para entendermos melhor, podemos comparar o coração e os vasos a uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Ao fecharmos a ponta dos esguichos, a pressão irá subir. mesma maneira, quando o coração bombeia o sangue e os vasos estão estreitados, a pressão dentro dos vasos aumenta.

A pressão alta ataca os vasos. Todos eles são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada, que é machucada quando o sangue está circulando com pressão muito alta. 

Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados e podem, com o passar dos anos, entupir ou romper-se. Quando isso acontece no coração, o entupimento de um vaso leva à angina e pode ocasionar infarto. No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso, leva ao "derrame cerebral" ou AVC. Nos rins também pode ocorrer entupimento, levando à paralisação dos rins. Todas essas situações são muito graves e podem ser evitadas com o controle da pressão alta.

É uma doença muito comum, que acomete uma em cada cinco pessoas. Entre os idosos, ela chega a atacar uma em cada duas pessoas. Também as crianças podem ter pressão alta. Costumamos dizer que a pressão alta é uma doença "democrática", porque ataca homens e mulheres, brancos e negros, ricos e pobres, idosos e crianças, gordos e magros, pessoas calmas e nervosas.

Os hipertensos devem orientar seus filhos a medir a pressão a cada seis meses ou no máximo a cada ano, para que o diagnóstico da doença seja feito pouco tempo depois do seu aparecimento. Na maioria das pessoas, esta aparece porque é herdada dos pais. Sabe-se que os que quem tem o pai, a mãe ou ambos com pressão alta tem maior chance de adquirir a doença. Hábitos de vida inadequados também são importantes: a obesidade, a ingestão excessiva de sal ou de bebida alcoólica, a inatividade física e o estresse podem contribuir para o seu aparecimento.

É uma doença crônica e dura a vida toda. Ela pode ser controlada, mas não curada. Na maioria das vezes, não se conhece o que causa a pressão alta nem como curá-la, mas é possível controlar a doença, evitando que a pessoa tenha a vida encurtada. Seu tratamento também evita o infarto do coração, o derrame cerebral e a paralisação dos rins. Deve ser feito com remédios que ajudam a controlar a pressão e com hábitos de vida saudáveis, citados acima.

A maioria das pessoas acometidas desse mal não se queixa de nada. Daí chamarmos a pressão alta de assassina silenciosa". Às vezes, dor de cabeça, tontura e mal-estar podem acontecer, mas é comum que, quando a pessoa sente alguma coisa diferente a pressão alta já danificou o seu organismo. A única maneira de saber se a pressão está normal é medi-la.

A Obesidade e o excesso de peso aumentam consideravelmente o risco de pressão alta, além de propiciar excesso de gordura no sangue, Diabetes, doença cardíaca, derrame, doenças respiratórias, cálculo na vesícula e câncer de próstata, mama, útero e cólon. Quem tem pressão alta, ao ganhar peso, terá sua pressão mais elevada e, ao perder peso, uma queda da pressão. A perda de peso, tanto nos obesos quanto naqueles com excesso de peso, reduz o risco de diabetes e doenças do coração, porque proporciona a redução do açúcar e das gorduras do sangue, como os Triglicerídeos, o colesterol total e o colesterol "ruim" (LDL-colesterol), que se deposita nas artérias. Além disso, a perda de peso ainda aumenta o colesterol "bom" (HDL-colesterol), que retira colesterol do sangue, evitando, assim, o seu acúmulo nas artérias. Os grandes segredos para a redução de peso são dieta e atividade física. Para perder ou evitar ganhar peso, siga as dicas abaixo.

O sal faz o corpo reter mais líquidos, e o aumento do volume de líquido faz a pressão subir. No entanto, não há necessidade de comer sem sal. Deve-se sim, evitar o exagero, como colocar sal na comida pronta ou comer alimentos que contêm muito sal. Cerca da metade das pessoas é mais afetada pelo cloreto de sódio, o sal de cozinha. Essas pessoas são denominadas “sensíveis ao sal”. Para esses indivíduos é importante comer com pouco sal, para evitar que a pressão se eleve. Nas pessoas não-sensíveis a esse condimento, o aumento da pressão com seu uso é pequeno.
Os brasileiros consomem em média quatro a cinco colheres de café cheias de sal por dia, ou seja, dez gramas. O nosso corpo precisa de bem pouco sal, muito menos do que uma colher de café por dia (2,5g/dia). Essa quantidade existe nos próprios alimentos.

O exercício físico ajuda a baixar a pressão. Muitas vezes, quem tem pressão alta e começa a fazer exercícios pode diminuir a dose dos medicamentos, ou mesmo ter a pressão arterial controlada sem o uso de remédios. O exercício físico adequado não apresenta efeitos colaterais e traz vários benefícios para a saúde, tais como ajudar a controlar o peso e a pressão arterial, diminuir as taxas de gordura e açúcar no sangue, elevar o “bom colesterol”, diminuir a tensão emocional e aumentar a auto-estima. Para realizar exercícios físicos adequadamente, siga as seguintes dicas.
As bebidas alcoólicas elevam a pressão arterial. Portanto, a redução do consumo de álcool é eficaz para diminuir a pressão arterial e pode prevenir a pressão alta. Sabe-se que entre cinco e dez por cento dos homens com pressão alta têm como causa do problema o alto consumo de bebidas alcoólicas. As bebidas alcoólicas possuem etanol, substância tóxica que lesa órgãos como o cérebro, o coração, o fígado e o pâncreas. Além disso, elas podem piorar a gastrite, dificultar a perda de peso (pois possuem muitas calorias) e retardar os reflexos, dificultando dirigir automóvel. E quem exagera corre o risco de desenvolver dependência e arruinar a própria vida. Para saber quanto pode consumir de bebidas alcoólicas, siga as dicas abaixo.
O fumo agrava as doenças cardíacas porque pode aumentar o ritmo das batidas do coração e a pressão, ou ainda piorar a Aterosclerose, endurecendo as artérias. Além disso, o fumo também pode provocar Câncer em vários órgãos.

Os remédios para tratamento da hipertensão agem no organismo controlando a pressão. O ideal é manter a pressão abaixo de 13 por 8. O uso dos remédios deve ser contínuo, diário, nas doses e nos horários recomendados pelo médico. Não deixe de tomar os remédios, mesmo que sua pressão esteja controlada.
Atualmente, existem remédios que controlam a pressão sem interferir na sexualidade. No entanto, se acontecer alguma alteração na sua atividade sexual, entre em contato com seu médico. É importante lembrar que é a pressão alta não tratada que pode causar impotência sexual, porque endurece os vasos do pênis, prejudicando a atividade sexual.

Tratamento Biomolecular

Na hipertensão arterial, a presença de um tipo específico de Radicais Livres nas arteríolas constitui-se num fator de proteção. Tal substância é denominada peróxido nitrito. Um radical livre que possui a propriedade de promover o relaxamento arteriolar. Tendo-se em mente que tal quadro de hipertensão ocorre por desequilíbrio metabólico, stress crônico com comprometimento do eixo hormonal e alteração eletrolítica, devemos sempre atentar para as causas primárias da hipertensão e ajuste eletrolítico. Além do fato de se poder constatar ser um quadro de hipertensão essencial ou mesmo obesidade. Seja qual for o mecanismo, é necessário o uso de medicamento anti-hipertensivo, dando-se preferência para os bloqueadores de canais de cálcio seletivos. Depois de corrigidos os níveis pressóricos, observar as alterações do aparelho digestóreo, a Disbiose que pode ser o fator determinante de desequilíbrio orgânico. Ainda, e na grande maioria das vezes, a realização e o estudo do Mineralograma Capilar (Exame do Cabelo) permitirão um ajuste metabólico adequado.

Ao mesmo tempo em que se avalia e corrige os parâmetros citados, devemos nos lembrar que a produção de peróxido nitrito é dependente de arginina, ácido fólico, vitamina C e magnésio. Que a inibição de sua produção é inversamente proporcional à concentração de ferro, e portanto, se faz necessário a verificação da concentração da ferritina. A retirada brusca de ferro da dieta faz com que o ferro livre circulante se ligue a ferritina, e dessa maneira, provocamos uma quelação de ferro sem a necessidade de medicamentos ou métodos invasivos. Devemos, ainda, sempre pensar na presença da vitamina E, ácido lipóico, glutationa , cisteína, niacina, ácido pantotênico, taurina.



 
Home Voltar Topo Imprimir


Desenvolvimento e Hospedagem de Sites