Home
:: www.imebi.com.br ::

Enxaqueca: Um Mal que Persegue Várias Pessoas

A cefaléia ou dor de cabeça, como popularmente é conhecida, faz parte da realidade do ser humano desde o começo de sua existência.

Uma das formas mais incomodativas da dor de cabeça é a chamada enxaqueca, que se diferencia da cefaléia corriqueira devido ao caráter pulsátil da dor, por vir acompanhada de náuseas e vômitos, provocar fotofobia e ter localização variada no universo craniano.

Estima-se que 40% da população mundial tenha pelo menos duas crises anuais. 

A causa mais comum é a contração dos músculos posteriores do crânio ou da coluna cervical, chamada de cefaléia de contração muscular ou tensional. Ela é responsável por 90% dos pacientes que procuram os médicos reclamando da cefaléia.

A Enxaqueca pode ser conceituada como um distúrbio vascular paroxístico hereditário. Isso significa que se caracteriza por uma perturbação orgânica que impede o organismo de manter o calibre dos vasos que levam sangue ao cérebro, às vezes contraindo-os demais e logo em seguida promovendo uma dilatação excessiva desses vasos.

É comum se iniciar com uma perturbação visual, as vistas se escurecem, uma parte do campo visual não percebe a imagem, surgem pontinhos, luzes ou zigue-zagues.

Numa segunda fase, quando o organismo reage provocando a vasodilatação, aparece o caráter pulsátil da dor. Nesse momento o indivíduo tem a sensação de que o coração mudou de lugar, agora ele habita em algum ponto da cabeça. Nessa fase algumas substâncias químicas transitam para fora das artérias provocando uma supersensibilização de certas regiões. Luzes e barulho representam grandes incômodos para quem está em plena crise de enxaqueca.

A enxaqueca pode ter localizações variadas, são clássicas as descrições de enxaquecas hemicranianas, pegando apenas um dos lados da cabeça. Mas também podem ser alternadas, posteriores, anterior ou até mesmo generalizadas e multi focais.

A causa para esse distúrbio ainda não foi encontrada. O seu caráter hereditário, no entanto, já foi comprovado e as mulheres são as principais vítimas. Do total de casos de enxaqueca 50% tem história familiar e 60% das pessoas afetadas são mulheres.

As crises não têm idade, pode se estender até os 60 anos ou mesmo pós-menopausa. A dor de cabeça ou cefaléia afeta 3,3% da população, 19% das mulheres apresentam cefaléia entre 20 e 64 anos, além das formas diferenciadas de cefaléias crônicas.

Indícios

Para muitas pessoas que sofrem de enxaqueca é possível saber quando uma crise se aproxima, principalmente se o problema já é um companheiro de longa data. Um dia corrido, tenso, distúrbios visuais, em alguns casos dormência, entre outros. E esse é o melhor momento para se tomar uma medida abortiva da crise. Como não se conhece a causa, pois não há cura definitiva para a enxaqueca.

O tratamento, na crise aguda, é feito a base de medicamentos ergotamínicos, antiinflamatórios não hormonais e analgésicos. Como medida profilática são usados diariamente antagonistas da serotonina, como a Metisergida, betabloqueadores, bloqueadores de cálcio e ainda vasomotores, antidepressivos e antiinflamatórios.

Pessoas que sofrem de enxaqueca podem achar que estão com algum problema sério, algum tumor cerebral, aneurisma e outros, principalmente quando procuram o médico e recebem um pedido de exames mais sofisticados. O diagnóstico da enxaqueca, no entanto, é feito apenas pelo exame clínico. Os recursos da tecnologia como Tomografia Computadorizada, Ressonância Nuclear Magnética, Eletroencefalograma e Raios-X do crânio devem ser feitos para que sejam afastadas toda e qualquer suspeita de algo mais grave ou para o caso desta ser confirmada, iniciar o tratamento adequado.

Certos alimentos podem provocar crises e devem ser evitados. São alimentos que promovem a vasodilatação, como chocolates, certos queijos e as bebidas alcoólicas, principalmente o vinho tinto, que contém a tiramina um vasodilatador muito potente.

Ao contrário do que se pode pensar o café e o fumo não são agentes desencadeadores de crises, inclusive muitos dos medicamentos usados no tratamento da enxaqueca contém cafeína, coloca o médico.

O glutamato nonsódico, usado na cozinha chinesa, pode induzir pelo mecanismo de vasodilatação um quadro conhecido como "Síndrome do Restaurante Chinês", que consiste de dormência da nuca, nos braços e nas costas, tontura, náusea e dor de cabeça. A "cefaléia de cachorro quente" é provocada pelo nitrito de sódio usado para dar coloração vermelha às salsichas, salames e bacon.

Até mesmo o sorvete e as bebidas geladas se tomadas repentinamente podem desencadear crises de cefaléia, principalmente em pessoas que sofrem de enxaqueca, nesse caso o processo é o mesmo provocado pelo frio, a reação vasomotora.

Os hormônios também representam grandes desencadeadores de crises de enxaqueca. A maior incidência de crises entre as mulheres com enxaqueca, acontece com o uso de anticoncepcional que classicamente agravam as crises, enquanto que durante a gravidez ocorre o desaparecimento na maioria das mulheres.

Cefaléias desencadeadas por atividade sexual

Outros tipos de situação são as cefaléias que são desencadeadas pela atividade sexual. Existem três tipos destas dores de cabeça originadas pelo sexo.

A mais comum destas cefaléias é a de tipo explosivo, que acontece no momento do orgasmo. Estas cefaléias podem fazer as enxaquecas parecerem brandas, quando comparadas a elas. Segundo especialistas, caso uma pessoa tenha dois ou três destes episódios, poderá passar inclusive a ter medo de ter uma nova relação sexual.

A dor de cabeça explosiva que surge durante a relação sexual pode ser acompanhada por sensibilidade aumentada às luzes e mal-estar, mas geralmente desaparece em 20-60 minutos. Os homens têm uma maior probabilidade de apresentar este tipo de problema.

O segundo tipo de cefaléia ligado ao sexo é a tensional, que não é tão ruim quanto a do tipo explosivo. Afeta homens e mulheres. Ela se apresenta como uma sensação de peso na cabeça, e surge quando a pessoa se aproxima do orgasmo.

O terceiro tipo de cefaléia ligada ao sexo é a posicional, e surge após a relação sexual. Ela tende a piorar se a pessoa se assenta ou se levanta. Para melhorar, deve-se deitar novamente. Acredita-se que este tipo de cefaléia surja possivelmente devido a uma laceração na membrana que reveste a medula espinhal, deixando escapar o líquido cérebro-espinhal (líquor), e portanto causando a dor de cabeça.

Fatores desencadeantes das Enxaquecas:

Causas físicas e ambientais:

- Tensão;
- Fadiga;
- Sono em excesso ou falta de sono;
- Jejum ou falta de uma refeição;
- Alimentos ou medicamentos que afetem o diâmetro dos vasos sangüíneos;
- Cafeína;
- Chocolate;
- Álcool;
- Períodos menstruais;
- Mudanças hormonais.

Alimentos e Dieta:

Acredita-se que alimentos específicos possam ativar pelo menos 30 por cento das enxaquecas.

Os principais alimentos que o paciente com enxaqueca deve evitar são:

- Queijos (exceto queijo fresco); chocolate; café em excesso;
- Qualquer alimento fermentado;
- Alimentos contendo aspartame (adoçante artificial);
- Alimentos contendo glutamato monossódico; frutas cítricas, salsicha, salame;
- Todos os alimentos em conserva devem, em geral, ser evitados.
- Vinhos tintos e a maioria das bebidas alcoólicas;
- Queijos envelhecidos e carnes processadas (inclusive pizza e cachorros quentes);
- Amendoim;
- Fígados de galinha;
- Alimentos em conserva;
- Pães e bolachas que contêm queijo;
- Feijões grandes, ervilhas, lentilhas.

Os alimentos para comer em moderação incluem;

- Abacates;
- Bananas;
- Frutas cítricas;
- Figos, passas;
- Ameixas vermelhas;
- Framboesas;
- Chocolates.

As 10 principais causas da dor de cabeça:

1 - Estresse ou tensão nervosa;
2 - Enxaqueca;
3 - Combinação estresse-enxaqueca;
4 – Sinusites e Sinusopatias em geral;
5 - Distúrbios visuais;
6 - Inflamação dos ouvidos;
7 – Meningites;
8 - Tumores cranianos;
9 - Origem dentária;
10 - Inflamação da artéria temporal.

O que fazer?

- Evitar fatores que desencadeiam a dor, como fumo, álcool, chocolates, queijos curados, salsichas, remédios, vasodilatadores, exposição demasiada ao sol e recintos fechados.
- Tratar estresse, ansiedade, medo e angústia.
- Evitar fadiga por excesso de exercícios, esforço mental ou privação de sono.
- Evitar hipoglicemia.
- Anticoncepcionais pioram a enxaqueca.
- Quando a causa for contração, fazer compressas quentes no local pois ajudam a relaxar a musculatura envolvida.

Abordagem Biomolecular

Entendendo o indivíduo e sua patologia, e não apenas a patologia, poderemos deduzir que pelo fato de ter como fator desencadeante principal a alimentação, causando uma vasodilatação e conseqüentemente liberação de substâncias para fora do vaso sanguíneo, podemos então, simplificando, dizermos que trata-se de um fenômeno alérgico. Envolvidos por tal raciocínio, perceberemos que toda resposta imunológica não se faz apenas localmente, mas ela ocorre de forma sistêmica. Assim, um agressor alimentar ativará o sistema de defesa da mucosa intestinal, cuja resposta local imediata lançará uma resposta imunológica em cascata que facilmente ganha o meio sanguíneo, com difusão sistêmica, vasodilatação, e está instalado o quadro de enxaqueca.

Dessa maneira, mais uma vez devemos cuidar da Disbiose, procedermos a dessensibilização do organismo, focado do aparelho digestóreo, através da Imunoterapia Ativada. A análise detalhada do meio intracelular, através do Mineralograma Capilar, com os ajustes e equilíbrios que se mostrarem necessários.

Pensando na suplementação como medida emergencial, antes mesmo de toda essa abordagem mais ampla, podemos recorrer a algumas substâncias como: vitamina C, vitamina E, coenzima Q 10, taurina, triptofano, como forma de minimizar a agressão promovida pelos Radicais Livres, e mais, impedir a sua ação.



 
Home Voltar Topo Imprimir


Desenvolvimento e Hospedagem de Sites