Home
:: www.imebi.com.br ::

A doença de Crohn é uma doença crônica, uma doença digestiva inflamatória de repetição. O trato intestinal tem 4 partes principais: o esôfago, o estômago, intestino fino, cólon e o reto.

Os dois principais locais da doença de Crohn são o íleo (que corresponde à última porção do intestino fino), e no cólon (intestino grosso). A condição começa como um pequeno, microscópico ninho de inflamação no revestimento intestinal que persiste e pode progredir para uma úlcera e a parede do intestino tornar-se espessa. 

Eventualmente, o intestino pode tornar-se estreitado ou obstruído e a cirurgia pode ser necessária.

Quais são as causas da doença

Há evidências genéticas que a doença de Crohn frequentemente se apresenta em grupos familiares. 
Acrescentando, há evidências que uma bactéria anormal cresce na porção inferior do intestino, e desta maneira age promovendo inflamação. 
O sistema imune do organismo produz anticorpos que protegem contra diferentes tipos de infecção, mas por causas desconhecidas, este mesmo anticorpo age contra o intestino. 
Ainda há um numero desconhecido de causas da doença. Felizmente a maioria das causas são conhecidas e especialmente seus tratamentos. 
Em negros o risco é diminuído, que indica o elo genético desta doença.

Sintomas

Os sintomas dependem do local do trato digestório onde a doença aparece. Quando o íleo é envolvido, a dor mais frequente é na parte inferior direita do abdômen. Algumas vezes, simula uma apendicite aguda. 
Quando o cólon é o local, diarréia (algumas vezes com sangue), pode ocorrer, com febre e perda de peso. 
A doença de Crohn pode afetar a área anal, formando uma complicação chamada fístula. 
Quando a doença está em atividade, indisposição e letargia aparecem. Em crianças e adolescentes há dificuldade de ganho ou manutenção de peso.

Diagnóstico

Não há qualquer exame diagnóstico conclusivo para doença de Crohn. A queixa do paciente e o exame do médico sempre ajudam. Certos tipos de exame de sangue e fezes são úteis para se chegar ao diagnóstico. Os raios-X do intestino delgado e cólon usualmente são solicitados. A colonoscopia (endoscopia do intestino) é frequentemente a melhor maneira de diagnosticar o problema, quando a doença está no cólon.

Comportamento da doença e complicações


A desordem geralmente permanece silenciosa e facilmente controlada por longos períodos. 
Na maioria das pessoas com a doença continuam com o propósito de conseguir seus objetivos na vida, na escola, no casamento, na família e no trabalho com poucas limitações ou inconveniências. 
Alguns problemas, fora do intestino podem ocorrer. Artrites, olhos e problemas na pele (em raras circunstâncias), doença crônica no fígado. Como citado anteriormente, a doença pode ocorrer na região anal. Estas são a fissura (frequentemente dolorosa) e a fístula. 
Quando a inflamação persiste no íleo ou cólon, um estreitamento ou uma obstrução parcial pode ocorrer. Nesta situação, a cirurgia é requerida para tratar deste problema. Quando a doença de Crohn está presente por muitos anos há um aumento do risco de câncer.

Tratamento

O tratamento da doença pode ser com medicamentos ou cirúrgico. É particularmente importante manter-se saudável através de uma nutrição balanceada e exercícios adequados. Os seguintes medicamentos são utilizados:

- Corticóide: é uma droga poderosa que proporciona um efeito eficaz. Inicialmente, é utilizada uma dosagem alta para controlar a doença quando os sintomas são severos. Após o controle dos sintomas, a droga é gradativamente diminuída e há manutenção com baixa dosagem. Há possibilidade de parar totalmente a utilização da droga. Este medicamento é administrado por comprimidos ou enema. O nome genérico é predinisona.

- Drogas antiinflamatórias: Sulfasalazina (azulfidine) pertence ao grupo 5 - aminosalicilados. Estas drogas são úteis quando a pessoa está sem sintomas, uma vez que mantém a doença sob controle. Eles são mais eficazes quando a doença está presente no cólon. São disponíveis em preparações orais e enema.

- Supressores do sistema imunológico: Estas medicações suprimem o sistema imunológico, que parece ser um fator agravante, importante para a doença. O nome dos dois medicamentos mais usado são azatioprina e 6mp. Estas drogas são utilizadas por longo tempo. Há outras drogas mais potentes que podem ser usadas em casos mais difíceis.

- Antibióticos: desde que há frequentemente infecção bacteriana associada, os antibióticos são frequentemente usados para o tratamento deste problema. Dois medicamentos são comumente utilizados: ciprofloxacina e metronidazol.

Dieta e emoções

Não há alimentos conhecidos que agridem o intestino. Entretanto, durante a fase aguda da doença muita fibra, leite e derivados podem aumentar a diarréia e a cólica. 
O paciente é aconselhado a comer uma dieta balanceada com adequada proteína e caloria. O seu médico pode lhe recomendar suplementos multivitamínicos e ferro. Stress, ansiedade e emoções extremas podem agravar os sintomas, mas não causar a doença.

Cirurgia

A cirurgia é comumente necessária durante o curso da doença de Crohn.
Pode envolver a remoção de uma porção do intestino, ou simples drenagem de um abscesso ou fístula.

Doença de Crohn em estágio mais avançado
O princípio que guia o tratamento é para realizar o mínimo possível de cirurgia. A cirurgia não cura a doença de Crohn.

Muitas pessoas com doença de Crohn vivem com poucas restrições. Embora não é seja a causa da desordem, pode ser controlada com tratamentos atuais. Em exceções, o curso da doença pode ser mais difícil e complicado, necessitando de vários exames e múltiplas terapias.


A cirurgia algumas vezes é necessária. Em todos os casos o acompanhamento médico é essencial para tratar a doença e prevenir as complicações que podem aparecer.

Tratamento Biomolecular

Sua abordagem leva em conta a doença e o doente. Enfraquecendo a primeira e fortalecendo o segundo. Sempre se entendendo que os tratamentos citados acima são indispensáveis. A terapêutica biomolecular objetiva o fortalecimento do organismo, a nível intracelular, modulando uma resposta eficaz contra a agressão em questão.

A ação mais importante é a correção da Disbiose. Uma vez que sabemos que a Disbiose é a causa primeira das alterações citadas em todo esse capítulo, não se pode pensar em estabilização e cura do processo sem que levemos em consideração a correção de desarranjo tão importante e lesivo ao organismo. Fazemos também, a aplicação da Imunoterapia Ativada, moderna terapia à base de vacinas que melhoram a resposta imunológica do organismo. É importante a correção das alterações metabólicas e nutricionais, que podemos estudar por intermédio do Mineralograma Capilar (exame do cabelo).

Pesquisar Alterações hormonais, com o estudo do “eixo hormonal”, poderá causar surpresa. Pequenas variações hormonais, cujos índices encontram-se em níveis adequados mas discretamente diminuídos, cuja suplementação pode ter resultados surpreendentes. Assim como a deficiência de alguns aminoácidos, como a glutamina, dentre outros, e vitaminas, como a B12, podem ser determinantes. A administração de substâncias que promovam uma melhor oxigenação e nutrição muscular, uma dieta individualizada, e a suspensão da ingestão de leite, seja de vaca ou cabra, dimensionarão o tratamento de forma incontestável.

A regulação do sono e do ritmo circadiano (vigília e sono), assim como o afastamento das situações desencadeantes de stress trará conforto e bem-estar.

Observar um leve sinal ou um quadro instalado de Depressão pode ser o diferencial entre o sucesso e o fracasso da abordagem terapêutica.

Num primeiro momento não se pode modificar qualquer dos esquemas terapêuticos citados anteriormente, até que comecem a aparecer os primeiros sinais e sintomas de melhora.



 
Home Voltar Topo Imprimir


Desenvolvimento e Hospedagem de Sites